Governo Provincial do Bié
Sociedade

Disponíveis 163 mil milhões para construção de estradas


Durante a abertura do II Conselho Consultivo de 2019, o ministro da Construção e Obras Públicas esclareceu que, devido às restrições orçamentais, 93 por cento do valor orçamentado será destinado para a conclusão das estradas nacionais 100 (que liga Cabo Ledo ao Lobito), 180 (que conecta Dundo-Saurimo-Dala), 225 (Catata-Lóvua), 321 (Maria Teresa/Dondo) e da 280 que liga o Cuchi ao Cutato.



Em relação às estradas nacionais número 140 e 295, que ligam Caiundo ao município do Dirico, 230 (Malanje-Saurimo) e a 120 (Mbanza Congo/Nóqui), tidas como prioritárias para a economia do país, o Governo procura captar novos recursos financeiros que permitam a conclusão das empreitadas, disse Manuel Tavares de Almeida.



No que diz respeito ao Programa de Salvação de Estradas, o Ministério da Construção e Obras Públicas, através de um concurso público, apurou recentemente 27 empresas de construção e igual número de fiscalização, com o objectivo de recuperar as vias degradadas.



Manuel Tavares de Almeida disse também que a efectivação do Programa de Salvação de Estradas permitiu, em dois anos, a reabilitação de mais de 1500 quilómetros de estradas asfaltadas, com destaque para os troços Alto Dondo-Waco Kungo, Lucala-Malanje, Gabela-Quilenda, Catchiungo-Chinhama, entre outros troços.



O Laboratório de Engenharia de Angola (LEA) tem acompanhado todo o processo através do controlo técnico, certificação dos materiais de construção e avaliação dos projectos em execução.



Em relação às ravinas, "outro problema preocupante", reconheceu Manuel Tavares de Almeida, o Ministério da Construção e Obras Públicas está a promover e a elaborar projectos de prevenção do surgimento de novos casos em zonas habitadas.



No entender de Manuel Tavares de Almeida, a implementação das autarquias vai permitir ao poder local tomar iniciativas de desenvolvimento das infra-estruturas rodoviárias urbanas.



Sobre o mau estado de alguns edifícios a nível nacional, o ministro da Construção e Obras Públicas garantiu que já começou o processo de avaliação técnica dos imóveis que constituem perigo à vida humana.



Jornal de Angola